Publicado em Deixe um comentário

Até o lixo orgânico é reciclável

A correta separação do lixo é um fator essencial para o transporte e disposição adequada do que é reciclável, resíduo ou rejeito.

A separação do lixo é um tema essencial para o desenvolvimento de qualquer sociedade. Portanto saber como separar o lixo corretamente é o primeiro passo para a destinação do mesmo. O primeiro passo é criar espaços específicos para descarte de materiais orgânico e outros. A disposição e o tratamento a ser dado ao material inclui reciclagem, reuso e até a incineração, conforme seja a condição mais adequado do material.

No Brasil, cada pessoa gera em média 1 kg de lixo por dia. É o que aponta o SNIS – Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento que reúne, entre outros dados, detalhes sobre o gerenciamento de resíduos no país. O SNIS estima que a cada ano uma pessoa produz cerca de 347 kg de lixo. Ainda de acordo com o levantamento oficial, apenas 13,7 kg vai para a reciclagem. O que significa apenas 4% do lixo gerado por cada brasileiro, ainda que até mesmo o lixo orgânico seja reciclável.

Mudança de hábitos

Os dados do SNIS retratam uma condição de descuido das autoridades de saneamento básico. E a situação não é apenas brasileira. Todavia a população pode contribuir para mudar o quadro, considerando que tudo é uma questão de hábito e atitude. A mudança que começa em cada pessoa está no olhar. Ao perceber os diferentes materiais bastam poucos minutos de dedicação para começar. Separar os materiais de forma adequada basta saber que resíduos e rejeitos são divididos em orgânicos, recicláveis e não recicláveis. E que existe o lixo perigoso e o não perigoso​1​.

Saiba que a separação pode evitar danos significativos a outras pessoas e ao ambiente de vida, que é de todos. E pode economizar energia, matéria-prima, água e espaço de aterros e lixões. Sem falar que pode ainda gerar renda. O lixo orgânico pode ser reciclado por meio da compostagem ou pode ser embalado em sacolas biodegradáveis e encaminhados para os aterros. Já os recicláveis devem ser higienizados, embalados em materiais também recicláveis e destinados para a reciclagem. Os não recicláveis não perigosos podem ser embalados em sacolas biodegradáveis e enviados para aterros sanitários. Mas os perigosos merecem uma atenção especial para cada tipo de resíduo.

Cores das lixeiras

Se o seu município tem serviço de coleta seletiva você só precisa separar o lixo reciclável do não reciclável. Mas preste atenção para a possibilidade de reaproveitar o material orgânico para compostagem. Apenas folhas e cascas de frutas e verduras cruas servem a tal finalidade. Carnes e resto de comida cozida vai para o lixão. E saiba que todo material reciclável tem uma classificação por cor: vermelha, azul, verde, amarela e marrom.

Mas se sua cidade não tem coleta seletiva veja a possibilidade de entregar o lixo reciclável para catadores ou cooperativas de reciclagem mais próximo. O Cempre – Compromisso Empresarial para Reciclagem disponibiliza online o livreto Mapa da Reciclagem, onde lista os pontos de coleta de materiais recicláveis no Brasil. O mapa também mostra locais de coleta de lixos tóxicos, isto é, o lixo que não pode ser descartado para lixões ​2​.

Lixo tóxico e legislação

No Brasil, a Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei nº 12.305/10) determina as responsabilidades dos governos federal, estadual e municipal para gerenciar os resíduos. A lei orienta que seja incentivada a prática de redução, reuso e reciclagem de resíduos, incluindo a coleta seletiva. Consulte aqui a lei na íntegra.

Porém itens como pilhas, baterias, óleo de cozinha, medicamentos vencidos, pneus, produtos eletrônicos e lâmpadas fluorescentes não podem ser descartados no lixo reciclável nem nos lixões ou aterros. Esses materiais se enquadram na categoria “lixo tóxico” e devem ser levados a pontos de coleta específicos para cada tipo de resíduo. A prefeitura de sua cidade tem obrigação legal de informar sobre pontos de coleta próximos à sua casa.

O vídeo​3​ a seguir fornece mais detalhes para uma coleta seletiva e cuidados essenciais com a natureza.

Livro

  1. 1.
    Clara Faria A. Como separar o lixo (sem dor de cabeça). Infosustentável. https://infosustentavel.com.br/2019/06/19/como-separar-o-lixo-sem-dor-de-cabeca. Accessed February 2020.
  2. 2.
    Mapa da Reciclagem. Sempre Informa – Mapa da Reciclagem. http://cempre.org.br/cempre-informa/id/112/nova-publicacao-traca-retrato-da-reciclagem-no-pais. Published 2019. Accessed March 8, 2020.
  3. 3.
    Lata de Alumínio A. Orgânico x Reciclável: saiba separar e descartar o lixo do jeito certo. Youtube. https://www.youtube.com/watch?v=fzxN53Inik8. Published September 13, 2017. Accessed March 2020.


Voltar ao Início
What do you think?
0

Guzi Arte

(mais…)